The Most Antecipaded Movies of 2019

Sem título, de Danny Boyle
O diretor Danny Boyle é sempre um nome pra ficar de olho, agora vai focar em um musical que é muito interessante, o filme vai contar a historia de um garoto que, é a única pessoa na terra que se lembra dos Beatles, com estreia programada para julho, com Ed Sheeran no elenco, é um filme para ficarmos de olho, principalmente quando temos Cats (Tom Hooper) no ano.

The Landromaut, de Steven Soderbergh
O fato é que ninguém mais se importa ou fica ansioso pelos filmes do Soderbergh, ele só entrou nessa lista porque conta com Meryl Streep no elenco e nada mais.

Radegund, de Terrence Malick
O diretor que outrora foi bicentenário, agora está filmando um atrás do outro, a história de Franz Jägerstätter, objector de consciência que se recusou a lutar pelos nazistas, e foi executada por eles, pode ser uma decepção - como foram seus três últimos filmes - ou pode ser uma obra-prima.

Dolor Y Doria, de Pedro Almodovar
O fato é que o cinema de Almodóvar tem decaido, suas historias parecem estar sendo escritas nas coxas, ainda assim, estamos sempre interessados em seus filmes, mas seu novo filme, que foi rodado no início deste ano, parece ter potencial para ser um retorno real à forma: retransmissão com dois dos atores mais conhecidos que ele ajudou a lançar em Banderas e Cruz, para um projeto que soa auto-intitulado. reflexivo e um pouco Fellini-ish de maneiras intrigantes.

Benedeta, Paul Verhoeven
O triunfo de Verhoeven em Cannes colocou ele de volta ao mapa, agora o seu filme sobre uma freira que se apaixona por outra mulher, deve estar em Cannes novamente e doido pra chocar seu público, sem nenhum grande nome no elenco, o que não deve ser suficiente pra espantar o público.

The Trial of Chicago 7, de Aaron Sorkin
O filme conta a verdadeira história dos sete réus julgados pelo governo após os protestos na Convenção Nacional Democrata de 1968, já sabemos que o filme contará com um texto brilhante, como Aaron Sorkin já trabalhou em séries com esse tema, é certeza de que será algo para apreciar, com Sacha Baron Cohen e Eddie Redmayne.

Midsommar, de Ari Aste
O sucesso de seu primeiro filme colocou Ari Aster de vez no mapa do cinema, tanto que exatamente um ano depois, ele voltará aos cinemas, o filme vai contar a história de um casal visita um amigo na Suécia para um festival de meados do verão, mas se vê forçado a uma violenta competição por um culto pagão, estreia em agosto.

The Truth, de Hirozaku Koreeda
O mais recente vencedor da Palma de Ouro, vai filmar ma França - idioma na qual ele não domina - ambientado em grande parte na França e com um elenco estrelado liderado pelas lendárias Juliette Binoche, Catherine Deneuve e Ethan Hawke. Kore-eda tem sido franco sobre os desafios que ele enfrenta em trabalhar em outro idioma (“Se direcionar ou não o jeito que eu faço no Japão é algo em que eu vou pensar no set”, ele disse), mas imaginamos a humanidade de seus filmes é algo que vai traduzir muito facilmente.

The Irishman, de Martin Scorsese
O filme mais aguardado do ano por quase todo mundo - cinéfilos ou não - depois de anos vai sair do papel e conta com o elenco dos sonhos de todo e qualquer fã de Scorsese, é ele de volta as suas raizes, ao que lhe deu fama, aos tempos em que ele filmava uma obra-prima atrás da outra, o sonhando filme de gangster.
 
Once Upon a Time in Hollywood, de Quentin Tarantino
O elenco gigantesco, não vou nem elencar os nomes aqui porque daria uma trabalheira danada, mas contar a historia real que chocou os EUA, devastou a vida do diretor Roman Polanski não será uma história fácil, mas estamos falando de Tarantino, isso já é o suficiente.

The King, de David Michôd
O nome da David Michôd é um nome que estou de olho desdeo seu primoroso primeiro trabalho, agora em um filme de época, a jornada do jovem príncipe Hal desde o início rebelde até o rei da Inglaterra, é uma adaptação (co-escrita com o colega Joel Edgerton, que também estrela como Falstaff) de três das mais famosas peças de história de Shakespeare, não apenas isso, mas também está abordando o mesmo território que Orson Welles 

The Woman in the Window, de Joe Wright
O filme vai contar a historia de uma mulher agorafóbica acredita que testemunhou um assassinato quando espionou seus vizinhos, essa será a grande chance de Amy Adams ganhar seu sonhado Oscar, já que ela é protagonista, mas tudo vai depender de como o filme será recebido, o filme ainda conta do Juliane Moore e Gary Oldman, o filme estreia em outubro.

You May Also Like

0 comentários