Prólogo

Resultado de imagem para the social network
O cinema atual está morrendo, é o que alguns dos meus amigos cinéfilos falam, eu sou do pensamento contrário, justamente por isso que criei essa página, dia após dia falarei dos diretores, dos filmes e de tudo que ainda faz o cinema ser uma arte. Como todo grande mercado (ainda que seja uma arte) o cinema também entra em crise, mesmo com os milhões de ingressos vendidos anualmente, com a crise de 2009 - não apenas no mercado imobiliário dos Estados Unidos, como em muitos outros paises e setores - o cinema também entrou em uma pequena crise, diminuindo radicalmente as opções para projetos independentes e co-produções internacionais, no final da primeira década do século Avatar, de James Cameron colocou o cinema em outro nível, não só falando em dinheiro, como também na tecnólogia usada no filme, o uso daquela tecnologia não foi o que muita gente esperava, mas entrou para o arsenal de recursos disponíveis para realizadores curiosos, como se isso não fosse suficiente atualmente nos Estados Unidos é possível assistir qualquer filme, por muito pouco, sem sair de casa, incluindo o cinema do mundo todo, curtas, seleções de festivais, títulos independentes. Foi logo no primeiros anos do século também que, um outro tipo de produção tomou conta do mercado, as animações finalmente se consolidaram, principalmente uma companhia em especial, a Pixar até hoje só faz sucessos tanto de crítica quanto de público, feito único - outro fato importante foi a globalização - que tem um lado bom e um ruim, o lado bom é que a crise econômica trouxe investidores coreanos, indianos para alguns estúdios, fechou acordos entre Hollywood, Bollywood, abriu as portas a diretores como Guillermo del Toro, Christopher Nolan, Alejandro Amenabar, Ang Lee, Peter Jackson, Florian Henckel von Donnesmarck, Neil Blomkamp, o lado ruim é que as refilmagens se tornaram epidémicas - ainda assim o cinema trouxe obra-primas para as telonas, sucesso de público, sucessos para/com o mundo - e é justamente disso que estarei discorrendo aqui, quase que diariamente - sintam-se em casa.

You May Also Like

0 comentários